Estado de Alagoas

Ir para o conteúdo. | Ir para a navegação

» Página Inicial Alagoas Hino

Hino

DECRETO N. 57

Adota Hino Alagoano

O Governador do Estado de Alagoas:

Entendendo que os hinos e cantos nacionais são considerados de elevada importância política, de sentimento de patriotismo e produzem no cidadão o entusiasmo pelas gloriosas tradições de seu país, incitando-o à pratica de civismo;

E tendo de acordo este pensamento mandado abrir concorrência pública para o fim de ser escolhida a música, que, acomodada à poesia do bacharel Luiz Mesquita, composta neste intuito, viesse a ser o hino do Estado;

Considerando que executadas perante numeroso auditório as nove composições musicais apresentadas, foi calorosamente aclamada pelo povo a classificada sob n. 9, de que é autor o cidadão Benedito Raimundo da Silva;

E finalmente atendendo que a composição nomeada para dar seu parecer sobre as mesmas composições se pronunciou igualmente em favor da de n. 9;

Decreta:

Artigo único. Fica adotada como hino do Estado de Alagoas a composição musical do cidadão Benedito Raimundo da Silva, baseada na poesia do bacharel Luiz Mesquita.

Palácio do Governo do Estado de Alagoas, em Maceió, 6 de junho de 1894.

GABINO BESOURO

Ildefonso Cantidiano da Silva

titulo_hino_de_alagoas

Letra por Luiz Mesquita
Melodia por Benedito Silva

 

Alagoas, estrela radiosa,
Que refulge ao sorrir das manhãs,
Da República és filha donosa,
Maga Estrela entre estrelas irmãs.

A alma pulcra de nossos avós,
Como benção de amor e de paz,
Hoje paira, a fulgir, sobre nós,
E maiores, mais fortes nos faz.

Tu, liberdade formosa,
Gloriosa hosana entoas:
- Salve, ó terra vitoriosa,
- Glória à terra de Alagoas!

Esta terra que há que idolatre-a
Mais que os filhos que filhos lhe são?
Nós beijamos o solo da Pátria,
Como outrora o romano varão!

Nesta terra de sonhos ardentes
Só palpitam, como almas de sóes,
Corações, corações de valentes,
Almas grandes de grandes heróis!

Tu, liberdade formosa,
Triunfal hosana entoas:
- Salve, ó terra gloriosa,
- Berço de heróis! Alagoas!

Ide, algemas que o pulso prendias
D’esta Pátria, outros pulsos prender!
Nestes céus, nas azuis serranias,
Nós, só livres, podemos viver...

E se a luta voltar, hão-de os bravos
Ter a imagem da Pátria por fé!
Que Alagoas não procria escravos:
Vence ou morre!... Mas sempre de pé!

Tu, liberdade formosa,
Ridentes hinos entoas:
- Salve, ó terra grandiosa,
- De luz, de paz, Alagoas!

Salve, ó terra que entrando no templo,
Calma e ovante, da Indústria te vás;
Dando às tuas irmãs este exemplo,
De trabalho e progresso na paz!

Sús! os hinos de glórias já troam!...
A teus pés os rosais vêm florir!...
Os clarins e as fanfarras ressoam,
Te levando em triunfo ao porvir!

Tu, liberdade formosa,
Ao trabalho hosana entoas!
- Salve, ó terra futurosa,
- Glória à terra de Alagoas!